Um incrível parque de diversões na Holanda

27/05/2018

--------------------------
Ainda não leu outras postagens que fiz sobre a recente viagem à Holanda? Então confira!
1. Parque das tulipas - Keunkenhof - Clique aqui
2. Vilarejo de Giethorn - Clique aqui
3. Dicas, sugestões e opiniões sobre a Holanda - Clique aqui
---------------------------

Era uma vez um lugar encantado, mágico, onde os sonhos das crianças pareciam se tornar realidade...

Muitas estórias infantis começam assim, não é verdade? E sempre nos trazem ótimas recordações de nossos tempos de criança. 

Pois saiba que existe um lugar onde você pode voltar no tempo e recordar, e vivenciar, muitas dessas estórias e contos de fadas que fizeram parte desse delicioso período da sua vida. 

E se você tiver filhos pequenos então, vai ser uma aventura e tanto!

Não, NÃÃÃOOOO, não estou me referindo aos parques da Disney!

Aqui você não verá filas intermináveis de turistas vindos do mundo todo...aqui você não terá de passar por uma loja tentando te seduzir à saída de cada atração visitada. Aqui, nada de atrações comerciais, patrocinadas por multi-nacionais ou mega-produtoras do cinema!

Existe, claro, gosto para tudo, e é mais de que comprovado que os parques da Disney são um grande, enorme sucesso de público. E tem, óbvio, uma dezena de qualidades que os habilitam para tal.

Mas para mim soam meio "fake", forçados demais, comerciais demais.

Para um ambiente digamos assim mais família, mais "inocente" e autêntico, mesmo para aqueles que curtem também uma Disney, existe o Parque Efteling, na Holanda.

Tive o prazer de visitá-lo em nossa recente viagem ao país, e não somente pelo nosso pequeno Henry, mas por mim e pela Adriana também. O Henry foi apenas a desculpa que precisávamos para passarmos alguns dias hospedados no hotel temático, em forma de castelo (e que ficou guardado na memória do Henry como o "hotel da cenoura", graças às quatro pontas da cor laranja, no topo do prédio), ao lado do parque dos contos de fadas.

O "Hotel da Cenoura", para o Henry.

Já na recepção do hotel, monitores vestidos de personagens reúnem as crianças e contam a elas, sentadas em círculo, estórias infantis. Nada de Mac queen, patrulha canina, velozes e fusiosos e tal...mas sim Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel, Pinóqueo...

E é justamente nesses personagens mais tradicionais que se baseia toda a temática deste grande parque de diversões (sim, suas dimensões se assemelham, aí sim, a alguns dos parques da Disney).

Uma das suas áreas maiores, inclusive, é dedicada exclusivamente a eles. Trata-se do bosque dos contos de fadas. É lá que você encontrará com eles e com suas recordações de infância...João e Maria, Pequeno Polegar, Cinderela, Branca de Neve...e uma série interminável de personagens, muitos deles desconhecidos do grande púbico brasileiro.

E mesmo sendo um parque mais local, frequentado muito mais pelos próprios holandeses do que por turistas de outros países e continentes, onde junto à cada uma dessas atrações é contada a respectiva estória em holandês (e portanto incompreensível para nós), isso não torna o passeio menos especial, garanto.

Um dos pontos onde personagens contam estórias às crianças

Mas não se espante, todos lá falam inglês e o atendimento aos turistas é de primeira, sempre muito gentil. 

Inúmeras outras atrações recheiam o parque, desde um legítimo, raro e antigo carrocel fechado até um passeio de calhambeque; desde um tranquilo passeio de barco pelo lago do parque até uma descida cheia de adrenalina em um rio bravo ; e muito, muito mais!

Tem playground, vilarejo de doendes, trenzinho, barco viking...chícaras giratórias, casa dos horrores, montanha encantada (Carnaval Festival), castelo medieval com cavaleiros e dragões...

E tem também, como não poderia deixar de ser em um grande parque de diversões, uma área reservada aos mais radicais, com montanhas-russas, loopings, entre outros.

Há também diversos pontos para lanche e refeições e uma completa infra-estrutura para atender seus visitantes. Tem lojinhas também, mas poucas e com um apelo bem menos comercial que em outros parques. Lá você encontrará livros de estórias, fantasias dos personagens e outras simpáticas lembrancinhas sempre associadas aos tradicionais personagens de nossa infância.

E o que mais encantou nosso pequeno? Um mini-parquinho, no final do parque (Onde fica a entrada exclusiva aos hóspedes do hotel adjacente), e mais especificamente um piano que é tocado com os pés, com a criança pisando em suas teclas. 

Mas Henry, com pouco mais de 2 anos e meio de idade, e ainda muito medroso, deixou de ir a diversas atrações, algumas bem "inofensivas" com um simples carrocel...enquanto, por outro lado, disse querer ir em uma montanha-russa, vai entender ("sorte" que pela sua altura não podia ir...rsss). Eu diria, portanto, que a idade ideal para seu filho aproveitar o parque de verdade seja a partir dos 4 anos, quando já terá coragem para ir a mais atrações e já reconhecerá a maioria dos personagens.

De qualquer forma, e mesmo deixando de visitar algumas atrações, o passeio valeu MUITO a pena e deixou sem dúvidas muitas lembranças na memória do Henry...e na nossa também!

Se interessou? Clique aqui e acesse o site do parque