Turista tem que ser sempre um pouco cara de pau!

05/06/2018

Chegamos ao restaurante, em noite fria nos Alpes. Interior aconchegante, aquecido, janelas com vista para o vilarejo todo iluminado e os picos nevados logo acima.  Felizes com a escolha, este seria o lugar ideal para mais um jantar das nossas férias na Europa.

A simpática garçonete, com aquele vestido típico das montanhas, nos oferece o cardápio. 

E o olho, já confuso em tentar entender os pratos descritos em alemão, fica logo arregalado ao ver que nada lhe agrada. É um tal de filé de servo com molho de iogurte e passas, rã com ervas e creme de cogumelos silvestres da Irlanda, tendão de porco com espuma de rabanete e etc...rsss (claro, estou exagerando. E sim, eu e a Adri somos meio frescos para esses pratos mais, digamos assim, ousados).

Olhamos um para o outro com cara de "e agora?"

Olho de novo na busca desesperada de algo que nos atenda o gosto...olho, olho e voilá! Tem um prato infantil! Com filé, fritas e salada....é nesse que vou...hehehe. E sem a menor cerimônia, e com a maior cara de pau, perguntamos à garçonete se podemos pedir o tal menu infantil....e pronto, jantar estava uma delícia...rsss

Vai viajar também? Então sim, o turista tem direito de ser cara de pau de vez em quando! 

Você está longe de sua casa, de seus costumes, dos seus gostos...nada mais natural que você possa ser um pouco "diferente" dos locais, não é verdade?  Portanto perca a vergonha e, sempre que necessário, passe o óleo de peroba na cara quando estiver viajando. Você provavelmente nunca mais verá essas pessoas, então aperte a tecla "f...." e vá em frente, seja diferente deles...rssss...

Já passei por diversas situações como essa, descrita acima, e mesmo que às vezes vermelho de vergonha, me virei nos 30 sem me importar com o que os locais iriam pensar. Na hora você fica sem graça, mas depois ri muito dessas situações, garanto. E isso torna sua viagem ainda mais divertida, garanto também!

Hã? O que é issoooo? Me dá o menu infantil por favor....filé com fritas...rsss

A maioria das vezes foi com comida mesmo. Já viramos experts em pedir o tal prato infantil...hehehe...mas tem muitas outras situações onde você tem de ser assim. 

Pedir informações, por exemplo. 

Não tem porque se envergonhar quando está em busca de um lugar (ou até totalmente perdido), mesmo que o idioma local lhe seja estranho. Vergonha de fazer mímica? jamais...kkkkk...o importante é se fazer entender e, claro, entender a resposta (essa já é mais complicada). 

E se por um acaso a pessoa a quem você perguntar for muito gentil, explicando tudo com calma e paciência, mas mesmo assim você não entender nadinha, ative o modo cara de pau e, por educação, faça cara de quem está entendendo tudo...hahaha

Não tenha vergonha também se suas roupas estiverem em desacordo com o padrão local. Quando eles vão às nossas praias não usam meias e sapato, por exemplo? Então qual o problema de você usar uma calça de moletom e tênis quando eles usam aquelas roupas típicas de couro, da baviera? rssss

Lembre-se, você é turista! Então se dê o direito de "ser chato" de vez em quando, perguntando coisas a torto e direito...pise sim na faixa de pedestres só para ver se o carro para mesmo...e atravesse fora da faixa para conferir se realmente te olham feio...rsss...pechinche na loja...repita sim aquela deliciosa torta de chocolate, jogue sim neve na cabeça da sua mulher, em frente a todo mundo...tire fotos em todos os lugares e de todas as formas que imaginar -se os japoneses, sempre recatados, fazem caras, bocas e poses diferentes quando tiram fotos em suas viagens, e são os que mais fazem, porque não você, brazuca?

Ah, antes que me esqueça, cuidado com certas situações em que pode parecer que você quis ser cara de pau (mas aí no sentido ruim), elas podem lhe causar problemas...rs. Exemplos: uma vez pegamos um trem de Zurique a Interlaken, cheio de malas (tínhamos acabado de chegar). 

Quando o trem chegou, pontualmente como manda o costume suíço, claro, embarcamos. Óbvio? Óbvio! 

O trem partiu e já bem adiante, passada mais da metade do trajeto, veio o funcionário da empresa ferroviária conferir os tickets. 

Normal? Normal! Só que não....rssss....

Fomos gentilmente convidados a sair daquele vagão e ir, com mala e tudo, até um vagão mais atrás. Sem saber, estávamos no vagão da Primeira Classe, e nosso bilhete era para o setor mais econômico. Devem ter pensado que éramos muito caras de pau e estávamos tentando levar vantagem, sei lá! Fica a dica, vai andar de trem, olhe bem na identificação que aparece no lado externo de cada vagão...kkk

Em outra oportunidade, trem de novo. Tentamos comprar o bilhete naquelas máquinas automáticas mas não sei porque, para aquele trajeto que faríamos, não aparecia nada. Estávamos fazendo algo errado? Possivelmente...mas pensamos que talvez o bilhete fosse então comprado já dentro do trem, e embarcamos sem o bilhete. E viajamos o trajeto todo (não foi muito longo) sem bilhete. Ninguém veio nos cobrar, ninguém veio vender. Me senti sei lá, meio trambiqueiro....mas foi sem querer, juro! O típico cara de pau inocente...rssss