Turim é muito mais que sede da Fiat e da Juventus

09/04/2018

Falar em Turim (Torino em italiano) faz muito brasileiro logo associar ao famoso time de futebol, a Juventus...outros, mais atentos, associarão à cidade à Fiat, cuja sede fica nesta que é a quarta mais populosa cidade da Itália, com cerca de 1 milhão de habitantes (fica atrás apenas de Roma, Milão e Nápoles).

Mas a capital da região do Piemonte, que foi também Sede dos Jogos Olímpicos de Inverno, em 2016, é muito mais que isso.

A começar pelo próprio legado futebolístico.

A Juventus, ou "Juve" para os mais apaixonados, é sem dúvida um dos grandes e mais famosos clubes de futebol do mundo. Mas o que poucos sabem é que o grande time da cidade, e que realmente marcou época, foi o Torino Football Club (apesar de ser hoje apenas o quinto maior ganhador nacional, e um mero coadjuvante no futebol atual). Muitos garantem que o Torino tem inclusive mais torcida na cidade do que a rival Juventus, a qual gaba-se por ter a maior torcida do país.

Rivalidades a parte, o time do Torino (ou "Toro") faz parte da história da cidade. Nos anos 40, teve uma das maiores equipes da história da Europa, sendo inclusive por muitos anos a base da Seleção Italiana. Este imbatível esquadrão se perdeu de forma trágica no dia 04 de maio de 1949 quando, ao voltar de um amistoso contra o Benfica, em Lisboa, o avião que trazia sua delegação chocou-se contra a Basílica de Superga, que fica no alto de uma colina ao lado da cidade de Turim.

O imbatível esquadrão do Torino FC, base da Seleção Italiana...

...teve um fim trágico na base da Basília de Superga.

Uma geração de ouro perdida no desastre aérea do Superga.
O funeral parou a Itália e levou mais de 500.000 pessoas às ruas de Turim

Esta Basílica, construída no século XVII para o duque Vítor Amadeu II de Saboia, é atualmente um dos grande atrativos turísticos da cidade - e não apenas por causa do acidente que vitimou os jogadores daquele grande time do Torino, como também pelas tumbas de diversos príncipes e reis da casa de Saboia e, claro, pela sua bela e imponente arquitetura. Além disso, lá do alto, tem-se também uma bela vista da cidade.

A bela e imponente fachada da Basília de Superga (foto do autor)

interior da basílica

Do alto da colina, onde fica a Superga, tem-se ótima vista da cidade de Turim
(em dias claros, é possível ver os picos nevados dos Alpes)

Mas antes de seguir adiante com meu texto sobre as atrações de Turim, gostaria de dizer que tenho uma relação muito próxima com a localidade, por ser a cidade do meu pai e onde, até hoje, tenho parentes.

Por esses laços afetivos e familiares, Turim foi sempre uma parada constante em minhas viagens pela Europa. E confesso que nas primeiras andanças por lá nunca dei muita atenção ao seu potencial turístico.

Inclusive, umas das maiores tristezas de minha infância foi lá, o que poderia "manchar" a imagem que tenho deste lugar. Foi em 1982, quando a maravilhosa Seleção Brasileira de Zico, Sócrates, Falcão, Junior e Cia., que vinha encantando o mundo com seu futebol espetáculo, foi inesperadamente eliminada da Copa do Mundo da Espanha...pela Itália! 

E onde estava eu? Na Itália! 

Em Turim. 

E enquanto eu era a tristeza em pessoa naquele fatídico dia, a cidade explodia de alegria pela vitória (a Itália seria, dias depois, a campeã do torneio). Foi doloroso demais!

Mas lembranças ruins a parte, além do fato de Turim ser uma cidade bastante industrial, o que pode em um primeiro momento tirá-la da lista de destinos turísticos a serem visitados, a cidade tem sim um lado muito atraente e vale muito a pena.

Tem a Basílica da Superga, já citada acima, e tem muito mais.

A começar pelo Museu Egípcio de Turim. Talvez você nunca tenha ouvido falar nele, mas saiba que é o segundo maior e mais importante museu egípcio do mundo, perdendo apenas, claro, para o museu do Cairo, no próprio Egito.

Localizado em um lindo palácio barroco do século XVII, e criado em 1824, o que faz dele o museu egípcio mais antigo do mundo, possui um valioso acervo com mais de 6.500 obras expostas em uma área com mais de 26.000 metros quadrados. Se você vai para a Itália e gosta de historia, não pode perder, é sensacional!

Reserve ao menos uma manhã ou uma tarde inteira para conhecer o museu que, ao contrário do que possa se imaginar, é totalmente moderno e "cinematográfico". Em seus amplos espaços e esplêndidas vitrines, você pode se locomover com muita liberdade e chegar bem próximo às diversas múmias e sarcófagos. É como se você estivesse dentro das próprias tumbas dos faraós, no Egito! Vá, você não vai se arrepender!

Para quem gosta de palácios, Torino reserva também ótimas opções de passeios. O imperdível Palácio Real (Palazzo Reale di Torino), por exemplo, a primeira e mais importante das residências construídas pelos Saboia no Piemonte. 

Ou o Palácio de Venaria (Reggia di Venaria Reale), provavelmente a maior e mais bela residência real piemontesa - quem conhece o Palácio de Versalhes, na França, vai se lembrar dele durante a visita, seja pelo seu luxuoso interior, pela imponente fachada ou pelos seus belos jardins.

Recomendo ainda a visita ao Palácio "Palazzina di Caccia de Stupinigi", nos arredores de Turim, proclamado Património da Humanidade pela UNESCO, em 1997, como parte do conjunto Residências da Casa de Saboia.

Fachada do Palácio Real...

...e seu luxuoso interior.

Palácio de Venaria, o "Versailles" de Turim 

Belo salão do Palácio de Venaria...

...e seu incrível jardim.

Palazzina de Caccia di Stupinigi

Seguindo nosso passeio, não deixe também de visitar a Torre Antonelliana (Mole Antonelliana), talvez o maior símbolo da cidade. Sua construção se deu entre 1863 e 1897, originalmente projetada para abrigar uma sinagoga. 

Sua enorme estrutura de alvenaria atinge mais de 160 metros de altura (o edifício é o mais alto de Turim e o edifício em alvenaria mais alto da Europa), fazendo ela se destacar em meio aos prédios da cidade. Não é preciso dizer que do alto ela permite uma vista panorâmica incrível da cidade - o terraço fica a 80 metros de altura.

Se você é daqueles que, como eu, adora visitar parques, vá ao Parque Valentino, o mais bonito e famoso da cidade, localizado às margens do Rio Pó. O lugar é ideal para um passeio tranquilo em meio a belos jardins, muitos deles ornamentais e, quem sabe, para um delicioso almoço à beira do rio. 

Além da natureza, você poderá também contemplar um castelo, de mesmo nome, cuja construção data do século XVI. Foi também propriedade da família Savoia e atualmente faz parte das instalações da Politécnica e da Faculdade de Arquitetura de Torino, sendo parte da lista dos Patrimônios da Humanidade da UNESCO desde 1997.

Vale também um passeio a pé pela região central, com belas construções em estilo clássico e calçadas cobertas, com laterais em forma de arcos. 

Lá você encontrará muitas opções de lojas para compras além de ótimas opções para comer. Não deixe, também, de parar em um dos diversos cafés para apreciar um delicioso expresso...e comer um doce ou chocolate daqueles, de morrer. Sugestões: Confetteria Stratta, Café San Carlo e Café Torino. 

Aliás, é "obrigatório" que você experimente (e leve para casa) o famoso chocolate gianduiotti, que derrete na boca...hmmmm...é o meu preferido, desde pequeno.  

 A maioria das ruas centrais te levará à Piazza San Carlo, outro ponto turístico que merece uma visita. Foi lá, infelizmente, que presenciei a festa dos tiffosi quando a Itália eliminou a seleção canarinho em 1982. Afinal, a praça é o ponto de encontro dos habitantes de Turim desde sua construção em meados do século 17. No centro da praça, há o impressionante monumento em homenagem a Emanuele Filiberto, um dos Duques de Saboia do século 16.

Na extremidade sul da praça, duas igrejas, a de Santa Cristina e a de San Carlo, guardam a entrada. Conhecidas como as "igrejas gêmeas", as duas têm fachadas distintas que mostram os diferentes estilos arquitetônicos de seus períodos. Ambas estão abertas a visitação. 

As "Igrejas Gêmeas" e o monumento no centro da Piazza San Carlo

Os elegantes prédios clássicos e as ruas com calçadas cobertas, em arcos.

Não deixe de provar o "Gianduiotti", chocolate típico da região.

Interior do Café San Carlo

Turim tem ainda outro atrativo famoso, mas este muito difícil de ser visitado. Trata-se do Sudário de Turim ou Santo Sudário, uma peça de linho que mostra a imagem de um homem que aparentemente sofreu traumatismos físicos de maneira consistente com a crucificação - acredita-se que se trate do rosto de Cristo. O Sudário está guardado na Catedral de Turim, na Itália, desde o século XIV e é raramente exibida em público. A última exposição foi no ano 2010, quando atraiu mais de 50 mil fiéis.

Lembra que falei de futebol lá no começo do texto? Por que não aproveitar sua estada em Turim para assistir um jogo da Juve ou do Toro....ou, se der sorte e a data coincidir, um clássico entre as duas equipes?

Enfim, Turim tem muito a oferecer ao visitante, apesar de não fazer parte do circuito turístico mais conhecido do país. E vale lembrar que sua ótima localização, no norte da Itália, faz dela uma cidade próxima a destinos como Milão, Veneza, Verona, Gênova, os Alpes....a própria região que a circunda é igualmente repleta de bons lugares para visitar. 

Vai para a Itália? Inclua Torino em seu roteiro, vai a dica!

Dica do autor: consulte a Bonjour Italie, eles têm ótimos roteiros pela Itália, seja para passeios curtos, de um dia, como para pacotes mais completos. Clique aqui e acesse o site. A empresa é parceira nossa, na Mailnews.

A bela e imponente Sacra de San Michele...

...o Lago de Avigliana...

...a região de Alba, famosa pela sua boa comida e pelas trufas,
além do ótimo vinho Barolo...

...e as paisagens alpinas do Val d´Aosta (com o imponente Monte Bianco,
ou Mont Blanc, o mais alto pico da Europa, no seu final).