Isso é um assento ou uma tábua?

13/06/2018

Que voar na Classe Econômica tem sido um sacrifício cada vez maior, ninguém contesta. De uns tempos para cá as empresas aéreas do mundo todo têm se "esforçado" bastante para tornar a viagem dos seus passageiros mais e mais desconfortável...é um tal de reduz espaço aqui, simplifica o serviço de bordo ali...cobra pelo serviço de bordo....reduz franquia da bagagem...cobra pela franquia da bagagem...onde vamos parar???

Em aeronaves de grande porte, muitas cias. aéreas deram "um jeitinho" de incluir uma poltrona a mais por fileira, premiando cada vez mais o pobre passageiro. Aviões Boeing 777, por exemplo, que em sua configuração original traziam 9 assentos por fileira, agora carregam 10. O Boeing 787 Dreamliner, originalmente planejado para ter 8 assentos por fila, agora carrega 9, e assim por diante.

A última moda, digamos assim, esta mais direcionada às aeronaves de fuselagem estreita que realizam voos mais curtos (ainda bem!), são os tais assentos "slim".  Você já reparou como eles afinaram?

O "assento" agora virou uma tábua, de tão fino e duro que ficou.  

E viva a busca frenética por receitas! O passageiro? Que se lasque!

Os ulta finos modelos atuais e, na foto abaixo, o padrão anterior.

Esses novos assentos ultra-finos trazem, claro, uma série de vantagens às empresas. 

São mais leves, o que reduz gastos de combustível. Usam menos materiais, o que reduz gastos com manutenção e os tornam mais baratos. E por serem mais finos, permitem que mais assentos sejam inseridos dentro da cabine, o que garante mais passageiros transportados e, óbvio, mais dinheiro entrando no caixa. Aviões que antes transportavam, por exemplo, 160 passageiros, agora carregam 172, 178...

Talvez a única vantagem que esses assentos "slim" trazem aos passageiros é o fato de, por serem justamente ultra finos, ocuparem menos espaço. Some-se o design mais moderno e o fato a bolsinha (onde ficam o manual de instruções de segurança e a revista de bordo) estarem agora não mais na parte inferior, onde batem nos joelhos, e sim na parte superior do encosto, e tem-se a sensação de mais espaço para as pernas - embora, diga-se de passagem, o espaço entre as fileiras tenha se mantido o mesmo ou, em muitos casos, até reduzido mais.

E qual será a próxima "grande jogada"? Até onde vai esse contínuo processo de deterioração dos serviços? 

Prepare-se, porque vem coisa pior por aí....rsss....chega a ser engraçado de tão absurdo, mas já existem estudos bem avançados de "assentos" onde o passageiro viaja quase que de pé!

Acredite, você ainda vai sentir falta dos dias de hoje...daqueles bons tempos, 2018, em que se tinha o privilégio de viajar de avião...sentado!