Dicas de viagem para típica vila nos Alpes Suíços

06/02/2018

Quem acompanha meu blog desde o início deve ter notado, em um de meus primeiros posts, que sou apaixonado pelas pequenas cidades e aldeias dos Alpes, onde você encontra, além de paisagens deslumbrantes, o "verdadeiro clima europeu" (clique aqui e veja esse conteúdo publicado anteriormente).

Hoje vou falar de um desses lugares especiais escondidos no meio das montanhas. Um dos lugares que mais gosto e que indico MUITO a todos.

Fica na Suíça!  

Confesso, sou fã da Suíça...e como não ser? Não somente pelas suas incríveis belezas naturais, como pelo capricho que cuidam de tudo, público e privado...um país onde tudo funciona, tudo é limpo, organizado, bonito! Tem que procurar muito para achar um defeito lá!

Mas então, que lugar é esse que estou sugerindo que conheçam?

Chama-se Grindelwald...e bem pertinho dali, ficam outros vilarejos, igualmente especiais e dos quais falarei um pouco também - Lauterbrunnen, Wengen e Mürren.

Nunca ouviu falar? 

É próximo à Interlaken, a famosa cidade aos pés dos Alpes e estrategicamente localizada entre dois lagos - o Brienz e o Thun.

Não ouviu falar em Interlaken também? Ok ok ok...fica próximo à Berna, a capital do país. Na verdade, se ainda está meio perdido, fica perto de tudo....a Suíça é pequena, então mesmo os destinos mais "distantes" não são tão distantes assim. E com as ótimas estradas e a incomparável malha ferroviária do país, é tudo muito acessível.

Zurique, que fica "longe" de Grindelwald, está a pouco mais de duas horas de carro. Já Berna, a cerca de 1 hora. Interlaken? Meia-hora.

Com cerca de 4.000 habitantes, Grindelwald (assim como suas vizinhas Lauterbrunnen, Wengen e Mürren), vive do turismo. É conhecida como a "vila do Eiger" - enorme maciço com 3.970 metros de altitude, o qual faz parte do conjunto "Jungfrau-Aletsch-Bietschhorn" declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2001. É o pico mais oriental da cadeia que se estende cruzando o "Mönch" (que significa "Monge", com 4.099 m) e o "Jungfrau" (a "Donzela", ou na tradução ao pé da letra, "Mulher jovem", com 4.158 m).

Grindelwald traduz perfeitamente aquela imagem de sonho, cartão-postal. Lindos campos verdinhos (sempre me pergunto, por que o verde dos campos deles é mais intenso e bonito que os outros), pinheiros, rios, cachoeiras, montes nevados...casinhas típicas, todas enfeitadas e floridas....o barulho dos sinos que as vaquinhas carregam no pescoço...fondue, chocolate....trilhas e mais trilhas...bondinhos, teleféricos, pistas de esqui...atrações para todos os gostos....no inverno, verão, outono e primavera...enfim, um lugar perfeito para passar dias inesquecíveis!

Para facilitar seu planejamento (o que, ainda não te convenci a ir???), passo abaixo uma sugestão de roteiro que considero perfeita para alguns dias em Grindelwald e região - lembre-se porém de fazer suas próprias pesquisas e adaptar o roteiro ao seu gosto e disponibilidade de dias.

OBS: estas dicas abaixo consideram o período da primavera, outono ou verão. Nunca estive na região durante o inverno (infelizmente). Mas certamente o lugar é também um ótimo destino nos meses mais frios, principalmente para quem gosta de esportes e atividades na neve.

Primeiro dia

Comece o dia explorando o "Grindelwald First" (clique aqui e acesse o site), uma de suas principais, e mais divertidas, atrações. 

Pegue o bondinho (teleférico fechado) que sai do centro do vilarejo e aproveite, a vista durante o percurso é de cair o queixo! O trajeto é longo, dura cerca de meia-hora até o topo, passando pelas paradas intermediárias de "Bort" (a 1.570 metros de altitude) e de "Schreckfeld" (a 1.955 metros de altitude).

O passeio de bondinho sobre os campos e bosques, com os grandes picos ao fundo, já vale a viagem. Subindo em direção ao "First"

Mapa ilustrativo da região do "First"

Lá em cima, na estação final que fica a 2.168 metros de altitude, te aguardam uma série de atividades e uma ampla vista do vale, do "Eiger" e de inúmeros outros picos ao redor. Imperdível!

Comece fazendo uma caminhada até o "Bachalpsee", um lindo laguinho que fica a 2.265 metros de altitude. A caminhada não é muito longa, mas leve em consideração que é feita em subida (porém nada impeditivo para quem não está, digamos assim, muito em forma). E pode acreditar, o "esforço" compensa! Já estive lá duas vezes, ambas no outono...em uma delas, peguei tudo branquinho, com muita neve por todos os lados...da outra, sem neve....das duas formas, it's beautiful

Quando retornar à estação final do bondinho, experimente a incrível sensação de liberdade (e de "terror", para quem tem medo de altura...rsss) no "First Cliff Walk by Tissot" - passarela erguida na beira do penhasco, com vistas deslumbrantes! 

Depois, almoce no simpático restaurante típico que fica ali mesmo, do ladinho.

O impagável visual no Bachalpsee...

...e a passarela que te coloca na beira do precipício!

O restaurante e a passarela da estação final do First, vistos de cima.

Depois do almoço sente-se em uma espreguiçadeira e curta mais um pouco do clima alpino e da vista...e tome fôlego, pois vem mais emoção a seguir! 

Pegue o bondinho e desça na estação intermediária "Schreckfeld. Quer adrenalina? Embarque na "First Glider", uma espécie de tirolesa em forma de águia que te leva para cima, até a estação final, voando como um pássaro, a 72km/h....pensa que acabou? Nããão!!! Tem a volta...rsss...e como é na descida, a velocidade é ainda maior! Chega a 80 km/h, em um percurso de 800 metros.

Fortes emoções, muita diversão e um visual sem igual 
esperam por você no Grindelwald First

Se preferir uma tirolesa mais tradicional tem também, informe-se no local - fica na estação final, em "First" e desce até a estação "Schreckfeld". Eu fiz, minha mãe também. Não me pergunte se a descida é bonita, fui com os olhos fechados...hehehe...mas minha mãe, mais corajosa, viu tudo e disse que é lindo demais...rss.

Recupere-se das fortes emoções, e prepare-se para um passeio divertido. Na mesma estação de "Schreckfeld", desça a montanha por 3 km de trilhas de terra até a estação seguinte, "Bort", em um carrinho off-road parecido com um kart ("First Mountain Cart"). Os inventores desse passeio de montanha quiseram dar a mesma emoção que se tem ao andar de sled no inverno, mas em pistas "secas" no verão.

Ao descer o morro no First Mountain cart, cuidado para não se distrair com a beleza da paisagem e rolar barranco abaixo....rsss

Chegando em "Bort", sente-se no terraço do restaurante local, tome algo, coma um bolo...passeie um pouco em volta (para variar, lindas paisagens) e se estiver viajando com crianças, leve o pequeno para se divertir no encantador parquinho que fica logo em frente. 

As crianças são privilegiadas nas regiões alpinas...é impressionante a quantidade de parquinhos que você encontra no caminho...um mais bonito que o outro, sempre integrados à natureza...como esse, em "Bort"

Para terminar o passeio com chave de ouro, desça de "Bort" para Grindelwald de "trottibike", uma espécie de patinete para adultos (e crianças, claro). O caminho contorna os morros e lindos campos da região, não deixe de ir!

A "Trottibike Scooter" garante também muita diversão e belas paisagens.

Segundo dia

Para o segundo dia, coloque um bom casaco e prepare-se para subir à estação que se auto-denomina "o topo da Europa". Vamos subir a "Jungfrau"!

O passeio começa na estação de trem da cidade, de onde se embarca para  "Kleine Scheidegg" passando, adivinha só, por belas paisagens (eu sei, eu sei, fica até repetitivo, em todo lugar que for nessa região você vai necessariamente ser obrigado, ô coitado, a passar por paisagens bonitas)!!!

Em "Kleine Sheidegg" você deve fazer a baldeação e embarcar no trenzinho que te levará à estação de trem mais alta da Europa, a "Jungfraujoch". Mas desta vez, nada de belas paisagens (viu só? rsss), a maior parte do trajeto é feita dentro de um túnel, no meio da montanha. Durante a subida no escuro ele para duas vezes por 5 minutos, para que os turistas possam desembarcar e ter, através de janelas, uma visão inicial das geleiras.

O trem até a "Jungfrau" percorre parte do trajeto assim, "ao ar livre". A outra metade é feita dentro da montanha, em um grande túnel (em subida íngreme)

 Essa é a vista na maior parte da subida....queria o que?
É dentro de um túnel, poxa! rsss...mas dentro do trem passa um vídeo,
você não vai se entediar...rss

Na parada do trem, no meio da subida, há janelas com vista
 para as montanhas e geleiras. Esta, abaixo, é a estação
"Eismeer" ("Mar de gelo"), a 3.160 metros de altitude.

O túnel que leva à "Jungfraujoch", estação de trem mais alta da Europa, a 3.454 metros de altitude, demorou cerca de 16 anos para ser construído. 

A subida de trem leva cerca de 50 minutos. Chegando na estação final, você pega um elevador que te leva até o observatório meteorológico "Sphinx"...dizem que é o elevador mais rápido da Suíça! Enfim, você chegou! 

A área oferece diversas atrações aos visitantes, como por exemplo o terraço aberto que permite uma espetacular vista (de novo? rsss) do "Glacial Aletsch", com seus mais de 20km de comprimento. Divino!

Outra atração imperdível é o Palácio de Gelo. Você percorre a pé (se for de tênis, como fui, e não quiser cair o tempo todo, agarre no corrimão..rsss) várias galerias com esculturas e túneis de gelo em uma área de 1.000 m², a menos três graus Celsius. Trata-se, na verdade, de um glacial que foi esculpido em forma de caverna por dois alpinistas e que hoje é mantido e restaurado constantemente pela concessionária que explora o "Jungfraujoch".

Nas imagens abaixo, o observatório, o Palácio de gelo, o
 contato com a neve e o impressionante mar de gelo.

O local possui ainda diversas outras atrações, como restaurante, lojas, exposições e o "Snow Fun Park" onde é possível praticar esportes de inverno (mesmo que não seja inverno, afinal lá em cima você sempre vai encontrar neve) e se divertir em atividades como esta, da imagem abaixo. Que tal escorregar na neve sentado em uma bóia? 

Clique aqui, acesse o site do "Jungfraujoch" e confira mais detalhes.

Depois de se esbaldar na neve almoce no próprio local ou então, o que sugiro mais, desça com o trem de volta à "Kleine Scheidegg" e coma algo bem típico lá (que tal salsicha com rösti e uma bela cerveja?). 

Se der sorte com o tempo, coma ao ar livre diante do paredão do "Eiger"...e se der mais sorte ainda, ao som de bandinha com música típica. Bom demais!

Reserve parte da tarde para um passeio pelo centrinho de Grindelwald...quem sabe algumas compras, não é? A cidade tem uma boa quantidade de lojas, restaurantes, docerias....sobrou tempo? divirta-se jogando mini-golfe, que tal?

Terceiro dia

Minha sugestão para este novo dia é pegar o carro (ou trem) e ir até a vizinha "Lauterbrunnen". Distante a apenas 16 km de Grindelwald, fica em outro vale.

E que vale! 

Não, não é um vale simplesmente bonito. É o vale mais bonito que conheço! Certamente um dos mais lindos do mundo!!!

Pense em um vale de conto de fadas....daqueles que só o imaginário é capaz de criar...então não perca tempo, esse lugar existe...e fica aqui, em Lauterbrunnen! Este pequeno vilarejo está encravado no meio de gigantes escarpas e cumes montanhosos, cujo vale possui mais de 70 estrondosas cascatas (algumas delas realmente impressionantes e muito altas), sendo talvez a mais emblemática a cascata "Staubbach", com uma queda de 300 metros - uma das mais altas da Europa! Não por menos, o nome "Lauterbrunnen" siginifica "fontes barulhentas".

Palavras e fotos são insuficientes para descrever a beleza do local...sério, se puder, vá! Só isso que lhe digo! Visite calmamente o pequeno vilarejo, sua igrejinha, seu lindo cemitério, o comércio, as trilhas próximas...

(Foto do autor)

Seguindo adiante, deixamos "Lauterbrunnen" e alguns km a frente, em uma estradinha de tirar o fôlego (sempre dentro do vale), chegamos à estação de teleférico de "Stechelberg". Tá, e agora, o que nos espera?

Pegue o bondinho ("bondão" na verdade, a cabine é enorme) e suba até o vilarejo de "Mürren", estrategicamente posicionado na beirada do "cânion", quase que "despencando" sobre o vale! A subida é rápida, bem íngreme...e linda demais! Você vai passar ao lado do paredão e de uma enorme cachoeira...e o vale ficando cada vez menor lá em baixo....lindo, lindo, lindo!

Mürren é um encanto, garanto!

Mürren fica no alto de um morro...não tem carros
e a única forma de chegar ao vilarejo é através do bondinho.

Chegue em "Mürren" (a 1.638 metros de altitude), desembarque e aproveite para passear um pouco por este simpático e bucólico local. Com cerca de 450 habitantes fixos e ampla oferta hoteleira, com mais de 2.000 camas disponíveis, é garantia de ótimas paisagens e de lindas fotos!  

Depois volte à estação do bondinho....mas ainda não é hora de descer ao vale de novo...muito pelo contrário, é hora de subir...e muito!

Pegue o bondinho...em direção ao "Schilthorn", a 2.970 metros de altitude. O local foi cenário de uma das séries do lendário 007 (filme On Her Majesty´s Secret Service, de 1969) e tudo lá gira em torno do personagem James Bond!

Sua estrutura em forma circular serve como base para um terraço com magnífica vista panorâmica de 360 graus do horizonte suíço, incluindo os picos "Eiger", "Mönch" e "Jungfrau". Serve de base também para um ótimo restaurante panorâmico, e giratório. Almoce lá, recomendo!

O bondinho deixando "Mürren" em direção ao "Schilthorn"
e, mais abaixo, imagens do local no cume do morro.

Dentre as atrações do local, destaque para o "Skyline Walk" (abaixo)
e "Thrill Walk" (mais abaixo)

A tarde, após regressar de bondinho ao vale de Lauterbrunnen, e já no caminho de regresso à Grindelwald, sugiro uma parada nas "Cascatas Trümmelbach" (ficam a apenas 2,5km da estação de teleférico "Stechelberg").

Escondidas no interior da montanha "Schwarzer Mönch" (Monge Negro), essas quedas d´agua impressionam não somente pela sua força (caem cerca de 20.000 litros de água por segundo, de uma altura de 200 metros), como pelo barulho (lembre-se, a maior parte da queda é subterrânea). São as únicas quedas d´agua de geleira do mundo acessíveis por elevador, galerias, túneis, trilhas e plataformas.

A noite, em Grindelwald, que tal um fondue para terminar muito bem esse dia cheio de ótimas recordações? A cidade tem muitos restaurantes que servem esse prato típico, basta procurar na rua principal ou até mesmo nos hotéis próximos.

Quarto dia

Sugiro começar o dia com um passeio no teleférico (tipo fechado) que vai de Grindelwald a "Männlichen" (clique aqui e acesse o site), cuja estação inicial fica na entrada da cidade, próximo à estação de trem. 

A subida lenta e extremamente agradável atravessa rios, campos, bosques de pinheiros e a medida que vai ganhando altura, a vegetação rasteira toma conta...pode até ter um pouco de neve no alto. O passeio, com extensão de 6km, dura cerca de meia-hora. Na chegada, a 2.248 metros de altitude, lhe aguardam vistas panorâmicas fantásticas, sobretudo em direção ao vale encantado de "Lauterbrunnen". Aproveite para passear um pouco nas redondezas, sente-se no gramado e simplesmente absorva o momento. Há ainda uma completa estrutura com restaurante, banheiros, cadeiras de sol, playground entre outros.

Quem já andou nesse tipo de bondinho sabe como é agradável e prazeroso...

...ainda mais quando se tem vistas de cartão-postal por todos os lados

Como em todos os lugares da região, em "Männlichen" existem também
diversas trilhas para caminhadas...não deixe de fazer alguma delas,
mesmo que seja curta.

As simpáticas e sempre presentes vaquinhas, enfeitando os cenários.

Em seguida, recomendo que pegue o bondinho (daqueles grandões), que parte de "Männlichen" para "Wengen", outra "jóia" da região. A descida dura cerca de 10 minutos e, só para variar, com uma vista de tirar o fôlego!

Localizada a 1.274 metros de altitude e com pouco mais de mil habitantes fixos, "Wengen" é mais uma daqueles cidadezinhas da Suíça que parecem ter saído das telas do cinema ou de algum comercial de chocolate. Vale a pena passear pelas suas ruazinhas e, quem sabe, almoçar por lá mesmo. Há diversas opções de bons restaurantes na cidade e, quase sempre, com vista bonita - sem ter que pagar "couvert" por isso...kkkkk

Para regressar à Grindelwald, sugiro fazer o trajeto de trem (o trajeto passa por "Kleine Sheidegg". Lembra? Foi onde você fez a baldeação para subir ao "Jungfraujoch" no segundo dia).

De volta à Grindelwald, dirija-se à estação de teleférico do "Pfingstegg" (cada nomezinho fácil, né? rsss) e suba o morro tendo como vista uma panorâmica da cidade. 

Grindelwald aos seus pés....é assim no "Pfingstegg"

Lá no alto tem uma atração muito divertida, a "rodelbahn" de verão. O que seria a "rodelbahn"? Ai ai ai, você não anda lendo meu blog, não é verdade? confessa...rsss....clique aqui e veja o post específico sobre este assunto. 

Como explicado neste post anterior, a "rodelbahn" é uma espécie de tobogã...você desce pela pista em alta velocidade, sentado em um carrinho. Na verdade a velocidade quem controla é você, mas o legal mesmo é perder o medo e "acelerar" pela pista de 700 metros de comprimento, em descida...de vez em quando tire os olhos da pista e aprecie a paisagem á sua volta....mamma mia!!! Chegando ao final, o carrinho se conecta automaticamente a um cabo que te pucha para cima, de volta à estação de partida. 

Rodelbahn....um dos grandes baratos dos Alpes.
Não tenha vergonha em ir de novo, e de novo, e de novo....

Termine o dia lá mesmo. Se estiver aberto (consulte os horários antecipadamente), jante no simpático terraço do restaurante local.

Quinto dia

Em 4 dias você já viu muita coisa. Quantas emoções e momentos especiais já terá registrado! O contato com a natureza, as tradições locais, enfim, muito já terá sido absorvido.

Mas ainda há muito a ser visto...vamos ao quinto dia!

Neste dia, vá de Grindelwald até a cidade próxima chamada "Wilderswill" (são apenas 17km de distância...23 minutos de carro ou cerca de meia-hora de trem). Na estação de trem local, informe-se sobre o passeio à "Schynige Platte". Será seu passeio da manhã!

Esta grande experiência, que opera apenas de maio a outubro, começa assim que os passageiros pisam nos vagões abertos da cremalheira. Você se sentirá transportado para a Belle Époque...os bancos de madeira dos vagões, o rolamento vintage do nostálgico trem, datados do século XIX, exalam o cheirinho dos tempos antigos e reavivam o espírito da era passada. E quanto mais alto a locomotiva sobe, mais deslumbrante a vista para a montanha se revela

A estação da montanha, a 1.967 metros de altitude, é o ponto de partida para diversas caminhadas relaxantes. É também lar de um jardim alpino com cerca de 650 espécies de plantas. A vista fascinante pode ser melhor aproveitada do restaurante panorâmico, que serve deliciosas especialidades da cozinha suíça e internacional (texto copiado do site myswitzerland.com). Almoce nas alturas, mais uma vez!

E de acordo com o site, há no local entretenimento musical diário dos sopradores de alphom...bacana, não?

E a cremalheira vai subindo, subindo....

A impressionante altura do terraço do restaurante local.
Juro, dá medo sentar na beirada

Trilhas, trilhas e mais trilhas...para todos os gostos.

Sopradores de "alphom" entretém os visitantes diariamente

Após bons momentos nas alturas, é hora de regressar para "Wilderswill" e seguir para a próxima atração sugerida, a apenas 2,6km de distância: um passeio à cidade de "Interlaken".

Como dito no comecinho do texto, lá em cima, a cidade fica localizada em uma planície, entre dois grandes lagos - o "Thun" e o "Brienz". 

Por ser uma cidade relativamente grande e estar próxima de muitos destinos de montanha, é muito usada por turistas do mundo todo como base para seus passeios. Mais de 45 ferrovias montesas, bondinhos e teleféricos...mais de 200 km de trilhas....tudo isso ali do lado, pertinho. 

Como se vê, é realmente uma cidade ideal para ponto de partida para incontáveis excursões...uma boa sugestão, se você tiver tempo, claro, é ficar alguns dias em Grindelwald e depois mais uns 2 ou 3 dias em Interlaken, pois além da cidade e do passeio de barco, há diversas outras atrações na região que podem ser melhor aproveitadas com mais tempo. Exemplos: "Niederhorn", "Harder Kulm", "Kandersteg", entre outros.

Niederhorn

Harder Kulm

Kandersteg

Interlaken, entre os dois grandes lagos.

O centro de Interlaken

Voltando ao nosso roteiro do quinto dia.

Minha dica para esta tarde: caminhe pelas ruas do comércio local, repletas de lojas de souvenir e, claro, de relógios, e/ou na orla do "rio Aare". Depois procure a beira de um dos lagos para relaxar à sombra das árvores. E não deixe de fazer um passeio de barco pelas águas límpidas do lago!

O "Thunersee" (lago Thun) é o mais movimentado e cheio de história para um passeio de barco. Às suas margens, em uma das extremidades, fica a cidade de "Thun", cujo centro histórico é dominado por um castelo medieval do século XII.

Do outro lado fica  o vilarejo de "Spiez", com mais um castelo medieval desta vez, seguido por uma igreja românica.  Informe-se se o seu barco permite que desça nessas cidades e, caso positivo, não perca esta oportunidade para conhecer um pouco delas.

Para completar o cenário do "cruzeiro", as montanhas com seus picos nevados podem ser vistas ao fundo, decorando a paisagem. 

Castelo medieval em "Thun" e, mais abaixo, o vilarejo de "Spiez" (e seu castelo)

Eu não conheço, mas parece que há agora uma opção mais "radical" para navegar em Interlaken, o Jet Boat (clique aqui e acesse o site)

Enfim, espero que tenham gostado do texto e das sugestões, quem sabe eu consiga convencer alguém que leu meu blog a visitar esta região abençoada. Confie em mim, vai gostar muito!

Este roteiro de 5 dias, como dito antes, é apenas uma sugestão....há diversas outras formas de montar sua viagem por esses lados da Suíça, seja com mais ou com menos dias, seja nas atrações que listei, seja em muitas outras. O ideal, claro, é sempre dispor de mais tempo, assim você faz tudo com mais calma, tendo inclusive horários livres para simplesmente relaxar no hotel, por exemplo. 

Ah, uma última dica: procure sempre colocar um dia a mais no seu planejamento....para o roteiro de 5 dias que sugeri acima, pegue 6 dias, e assim por diante. É sempre bom ter um dia "na manga" para qualquer eventualidade (chuva por exemplo), ou para retornar a algum dos lugares visitados.

Para finalizar, pode ser que me questionem por sugestões de hotéis e restaurantes, mas não costumo fazer...no caso de hotéis, pesquise aquele que melhor se enquadra no seu orçamento e gosto (opções não vão faltar nessa região)...e no caso de restaurantes, não se preocupe em pesquisar nada antecipadamente. Simplesmente aproveite os passeios e verá que sempre tem um restaurante no caminho (e pode confiar, até os restaurantes mais "escondidos", no meio de uma trilha nas montanhas, é normalmente de ótima qualidade)!