Dica de Viagem: Lago de Garda, Itália

04/07/2018

Hoje escrevo sobre mais um daqueles lugares que são especiais para mim e que, como os outros já relatados anteriormente aqui no blog, merecem muito ser visitados.

É mais um tesouro italiano "escondido" da maioria dos brasileiros, mas muito popular entre italianos e europeus de uma forma geral, principalmente dos países próximos - Alemanha, Áustria e Suíça. Não por menos, é outra região italiana onde se ouve muito o idioma alemão.

Hoje vou falar do Lago di Garda!

Minha relação afetiva com este lugar vem de longa data, desde minha primeira visita ainda durante a infância, acompanhado da família e com a presença da avó italiana, a Nona Tereza. Lembro e guardo até hoje a foto do carrinho de brinquedo que ganhei dela lá! E desde então, por muitas outras vezes, tive o privilégio de regressar à região, já sem a presença da nona, mas algumas vezes na companhia também dos zios e zias e, mais recentemente, também da esposinha e do pequeno Henry.

A última passada por lá, porém, nos fez perder um pouco do encanto. Mas não por culpa do lago di Garda e de toda a região à sua volta, que seguem lindos e encantadores. E sim por um incidente no hotel que costumávamos nos hospedar há muito tempo, e com quem imaginávamos ter já uma relação de amizade. Isso porque o dono do hotel, velho conhecido, nos cobrou cerca de 400 Euros por uma mesinha de cristal que acabou trincando quando eu, querendo proteger meu filho pequeno de bater a cabeça nela, posicionada ao centro do quarto, tentei arrastá-la um pouco para o canto.

Avisei o dono logo após o ocorrido, reconheci a culpa, claro...mas talvez de forma ingênua imaginava que deixariam passar, afinal já estavam avisados que haveria criança pequena no ambiente e deveriam saber que aquela mesa representava um risco. Enfim, business é mais importante para eles, então pagamos, claro, mas nunca mais voltaremos. Fosse eu o dono, jamais cobraria do meu hóspede, ainda mais sendo ele velho conhecido. Coisas que acontecem, fazer o que né?

Não vou falar o nome do hotel...o máximo que farei é mostrar...é aquele branco, mais ao fundo. Mas cuidado para não quebrar nada, vai vir na conta!

Mas isso não vem ao caso....foi apenas um parêntesis e, como disse, em nada muda o quanto este lugar é especial para nós e, tenho certeza, também será para quem for visitá-lo.

Torbole, uma das várias pequenas cidades do Lago di Garda

O Lago di Garda, como curiosidade, é o maior lago da Itália e localiza-se no norte do país, entre as regiões da Lombardia, Vêneto e Trentino-Alto-Adige. Estende-se por uma área de cerca de 370 km2, a uma altitude de 65 metros sobre o nível do mar. Possui 5 ilhas e é rodeado de pequenas e encantadoras cidades, muitas delas históricas.

Uma delas, e na qual sempre costumamos ficar, chama-se Malcesine (é lá que fica o hotel citado mais acima. O hotel, aliás, é muito bom e com privilegiada localização...mas não vou citar seu nome não, não merecem a propaganda...rsss....há grande opção de hotéis por lá, tenho certeza que vai achar um bem bacana nas suas pesquisas e, de repente, acabará sendo este mesmo...rss).

Malcesine e o castelo que a identifica

E é lá, em Malcesine, que eu recomendo que você se hospede, fazendo dela seu QG para os passeios pela região do lago.

Pequena, com cerca de 3.500 habitantes, a cidade tem como seu marco mais proeminente o Castello Scaligero, que tem uma torre medieval e fortificações que datam do século XIII. Vestígios de uma tumba etrusca foram achados dentro dos muros do castelo. O castelo foi fortificado pela família della Scala, que governou a região durante todo o século XIII. Outros pontos marcantes da cidade incluem a pievede São Estêvão (séc. VIII) e a igreja de Santa Maria di Navene (séc. XI).

O belíssimo castelo, realmente, destaca-se na paisagem. Mas o vilarejo todo é um charme, garanto. Debruçado entre o lago e a montanha, encanta a todos com suas ruelas estreitas de paralelepípedo, repletas de cafés, sorveterias, cantinas e lojinhas...e suas casinhas, umas de pedras (as mais antigas), outras em tons pastéis.

Na região mais central de Malcesine, ponto de encontro dos locais e dos turistas, encontra-se o pequeno porto. Lindinho que só, é o local ideal para um bom sorvete com vista para o lago, ao som dos pássaros e dos traguetos, barcos que fazem a ligação regular entre as cidades do lago.

Do seu píer, tem-se uma vista fantástica do por-do-sol! Imperdível!!! E fique até o anoitecer, pois o local todo iluminado ganha também um ar todo especial. Andando por perto você encontrará diversos restaurantes de ótima qualidade, muitos deles à beira-mar, ou melhor, à beira-lago...rssss....

Mas o termo beira-mar até que se aplica bem, pois o lago é tão grande que você pode às vezes se sentir mesmo estando de frente ao oceano. Ainda mais quando sentir aquela brisa batendo no rosto, típica de cidades costeiras. 

O charmoso e colorido porto de Malcesine...

...é ótimo lugar para apreciar o por do sol (foto do autor)...

...e também o anoitecer, com ótimos cafés, gelaterias e restaurantes
(foto do autor)

A imensidão do Lago di Garda (foto do autor)

Bom, além de caminhar pelas suas ruelas tortas, papear e apreciar a vista do porto, comer bem, claro que você deve subir a pequena colina para visitar o castelo medieval. Você será recompensado não apenas pela bela arquitetura da construção, com suas muralhas, torre, jardins e museu, mas sobretudo peça espetacular vista que se tem lá de cima. Clique aqui e acesse o site.

O castelo e sua incrível vista para o lago (fotos do autor)

De volta à cidade, ande novamente em direção ao porto, no centrinho, e siga adiante pela Viale Roma. Em cerca de 400 metros mais, o caminho, antes feito pela cidade, passa a ser feito à beira do lago, agora pela Via Lungalago - com belos jardins, pequenas "praias" de água clarinha e vistas incríveis. Um passeio muito agradável, sem dúvida! Ande sem pressa, respire fundo, aprecie, absorva o máximo possível. Bateu a fome? Sem problemas meus amigos, você sempre vai acabar topando com um bom restaurante no caminho.

Pedaço do delicioso (e florido) passeio que se faz
à beira do lago a partir de Malcesine

Para os momentos de paz, tranquilidade e pura contemplação (foto do autor)

Dri e nosso pequeno Henry apreciando o fim de mais um lindo dia no Garda!

Lembra que falei das águas clarinhas do lago? Pois bem, clarinhas e...frias...muito frias...rssss....nem por isso deixam de ser usadas com enorme freqüência para banho...e se você já está lá, tome coragem e nade em uma das diversas pequenas praias de pedrinhas que se formam pela região toda. Mas vale a dica: compre uma daqueles sandálias especiais para banho, que protegerão seus pés do incômodo de pisar nas pedrinhas. No mais é curtir o momento, esticar uma toalha no gramado e se secar no sol forte que ajuda, em grande parte, a garantir o sucesso deste destino turístico.

Aqui dá praia sim...mas é de pedrinhas! 

Chega de praia por enquanto? Vamos então subir a montanha?

Sim, subindo em direção à colinha, pouco após cruzar a estrada, você encontrará a estação de teleférico do Monte Baldo. Aberto normalmente do final de março ao final do mês de outubro, este é outro passeio altamente recomendado. A subida se dá em uma moderna cabine rotatória, que permite uma visão 360º do percurso e do morro, repleto de oliveiras, passando pela estação intermediária (San Michele, a 580 metros de altitude) antes de chegar à estação do topo (Monte Baldo, a 1.780 metros). Clique aqui e acesse o site.

Lá do alto você terá vistas arrebatadoras do lago e das montanhas à sua volta, e ótimas trilhas para uma caminhada. Mas se lá em baixo fazia calor, leve um agasalho, pois aqui em cima pode ventar e esfriar bem.

O bondinho rotatório do Monte Baldo e o visual que se tem lá de cima,
com ótimas trilhas para caminhada.

O local é muito freqüentado por amantes do voo livre, sendo ponto de decolagem de asas-delta e paragliders (você pode contratar um voo duplo, se quiser...para mim, falta a coragem necessária...rss). Aqui também vale a pena sentar no gramado, apreciar a vista e os saltos. E por que não almoçar em um dos restaurantes típicos de montanha?

Henry apreciando os saltos do alto do Monte Baldo

Malcesine, como se vê, apesar de pequenina tem muito o que mostrar. Para a criançada, por exemplo, tem passeio turístico de trenzinho e um ótimo playground público (como aliás, de costume na Europa). Tem uma fantástica loja de carrinhos de brinquedo, ideal para quem tem filho menino...o Henry amou, queria levar tudo....rssss...e tem mais, muito mais.

Trenzinho...playground...loja de brinquedos com lindos carrinhos...
o lugar é ótimo para a criançada também!

Que tal, por exemplo, um passeio de barco?

Então dirija-se novamente ao porto e adquira sua passagem no tragueto. Tem barcos saindo em intervalos pequenos que ligam Malcesine à diversos outros pontos pitorescos da região. Vou recomendar dois, mas existem muitos outros.

A primeira sugestão é um passeio até Limone, do outro lado do lago, quase que em frente à Marcesine. São apenas cerca de 20 minutos de navegação de onde se tem, óbvio (e sem querer ser repetitivo), belas vistas (você poderá ver, por exemplo, o Castelo de outro ângulo).

Hora de passear de barco, eba eba eba

A pequena e encantadora Limone del Garda, região da Lombardia, foi ocupada pelos romanos por volta de 200 d.C. e fez parte da República Veneziana, depois do império Austro-Húngaro para finalmente pertencer à República Italiana. O que era uma vila de pescadores se tornou também cultivadora do Limão, em um terreno de montanha muito difícil de ser trabalhado. Hoje, é um dos maiores pólos turísticos do Lago de Garda.

Já na chegada do barco você começa a perceber que trata-se de um lugar impressionante. O vilarejo está literalmente encravado nas enormes formações rochosas, com uma estreita área plana onde fica a parte mais movimentada da cidadela.

A encantadora Limone, "encaixada" entre as rochas e o lago

Limone é, assim como Malcesine, para ser descoberta de forma tranqüila, sem pressa, a pé. Casinhas coloridas, ruas estreitas, ótimo comércio (sobretudo aqueles que vendem limões e produtos que remetem ao fruto) e uma praça ou calçadão à beira do lago, com fontes, cafés e restaurantes. Sente no murinho com as pernas sobre as águas do lago e aprecie os patos e cisnes nadando junto a este cenário de sonhos. E não esqueça de vez ou outra voltar a vista para trás, onde os paredões parecem querer cair sobre a cidade.

Não deixe de almoçar por lá, há inúmeros locais que servem ótimos pratos, sobretudo peixes. E para fechar, o famoso e delicioso Limoncello, licor digestivo.

Adri em pequena praça de Limone....mais abaixo, os paredões de pedras sobre as casas e os famosos limões cultivados e vendidos por lá (fotos do autor).

A outra sugestão de passeio para se fazer de barco te levará até Riva di Garda (pode embarcar tanto de Malcesine como de Limone). Durante o trajeto você possivelmente verá uma quantidade imensa de praticantes de vela e windsurfe se divertindo nestas que são águas muito famosas para a prática desses esportes náuticos. O vento forte encrespa a água nesta parte do lago e garante velocidade e grande variedade de manobras aos aficionados. Um show a parte!

O Lago di Garda é um paraíso para os velejadores

Minha mãe no barco, pouco antes de chegarmos à Riva di Garda

Localizada na extremidade norte do lago, Riva di Garda já é uma cidade de porte maior, com cerca de 15.000 habitantes. Mesmo assim, ainda bem pequena para os nossos padrões. Costuma ser mais movimentada que suas irmãs menores e, assim como elas, tem inúmeros atrativos para os turistas. Novamente vai a dica: desbrave o local a pé! Você passará por belos casarios e parques, um deles margeando o lago...conheça as igrejas de Santa Barbara e Inviolata, curta a vista no "The Bastion", ande pela Praça "Catena"e "3 de Novembro", contemple a "Torre Apponale" e o "Castelo Rocca", passe pelo "Portão de San Marco"..enfim, descubra cada cantinho desse lugar. Aproveite para fazer compras e, como de costume na Itália, comer muito bem!

Nas imagens a seguir, alguns ângulos de Riva di Garda

Casas coloridas de Riva (foto do autor)

Ok, de volta à Malcesine.

Acabou?

Não, não, nãããoooo! Tem mais!

Se estiver motorizado, não deixe de fazer o passeio de carro pela estradinha que margeia o lago. Principalmente na parte norte, onde a estrada afunila bastante e garante cenas belíssimas entre o lago e os enormes rochedos. Mas não desvie muito o olhar da pista, há muitas curvas (algumas bem fechadas), túneis e precipícios, e a pista é de mão-dupla. Então, olho vivo!

A parte mais bonita da rota é justamente esta entre a cidade de Malcesine e a região de Limone, passando por Riva di Garda. O pedaço após Riva é o mais impressionante, eu diria.

E já que estamos falando de vistas fascinantes e adrenalina, aqui vai mais uma dica imperdível.

Pode ser feita no mesmo dia deste passeio de carro. Fique atento ás placas logo após passar por Limone e siga em direção á "Tremosine". Você será levado ao alto nesta estradinha repleta de curvas, em meio à paisagens campestres, até o encontro desta adorável vila com menos de 2.000 habitantes.

Na verdade existem duas estradas, a principal (esta citada no parágrafo anterior) e a secundária e mais panorâmica, chamada "Strada della Forra" (que é ainda mais estreita e um show a parte, garantia de fortes emoções).

Sugiro subir pela principal e descer pela secundária...mas atenção, passe bem longe da bebida antes de dirigir...rssss....o lugar merece atenção redobrada do motorista!

A ruela, em duas mãos (embora tenha pontos em que você duvide ser capaz passarem dois carros, chegando a rezar para que não venha um na contra-mão), é muito, muito estreita, encravada nas rochas e gargantas no meio da montanha, em um cenário único!

Depois de muitas curvas, pontes, cascatas e pequenos túneis, de repente a paisagem se abrirá revelando, lá do alto, a imponência do lago em um de seus ângulos mais esplendorosos. A título de curiosidade, esta estrada panorâmica chegou a ser eleita pelo Frankfurter Journal como a "mais bela estrada do mundo".

A espetacular (e apertada) estradinha é um dos pontos altos deste roteiro...

Xiii, agora ferrou...rssss

E depois de muito aperto entre rochas, túneis e curvas fechadas,
eis que o lago de abre esplendoroso à sua frente!

Bom, mas voltemos a falar mais um pouco de Tremosine, este pacato e encantador local no topo do morro. Caminhar por suas ruas estreitas de pedras, observando suas antigas e bonitas casas igualmente de pedras e enfeitadas com pequenas jardineiras é um privilégio. Parece que ali o tempo parou e você está de volta ao passado!

A pacata Tremosine, onde o tempo parece que parou!

Subindo mais um pouco você chegará à uma outra área do vilarejo, esta caracterizada por casinhas literalmente penduradas sobre o enorme precipício, com cerca de 400 metros de altura! Impressiona!

Procure encontrar o Bar e Gelateria (quando fomos, era também restaurante, não sei se algo mudou) chamado "Da Gemma". Não tem como explicar a sensação de ver esta pequena construção suspensa no ar, como que pedindo para cair lá em baixo, no lago....dá até frio na barriga de olhar....e de entrar então, nem se diga! Rssss. Se tiver coragem entre e sente nas mesinhas próximas à janela...comer em um lugar desses é uma experiência única!

Vai lá, senta naquela mesa que fica bem na ponta deste bar/restaurante! rssss....agente não só sentou, como comeu lá....medoooooo...kkkkk

Visto de outro ângulo. E olha as casinhas todas penduradas também...eu hein!

E é alto, viu! Muito alto!

Andando um pouco mais para cima, ainda no vilarejo, procure pelo Hotel Paradiso. Seu incrível terraço suspenso também é garantia de vistas de tirar o fôlego e tremedeira para quem, como eu, tem certo receio de grandes alturas. Aqui também é um lugar muito agradável para almoçar, tomar um drinque, se quiser.

Tremosine no alto do morro, à beira do precipício e, mais abaixo,
o terraço panorâmico do Hotel Paradiso

À medida que se anda em direção ao sul do lago, os penhascos e morros vão cedendo lugar e a região vai se tornando mais e mais plana. A paisagem muda bastante mas os atrativos seguem lá, principalmente para quem quer se banhar nas "praias" que se formam por ali.

Na parte extrema ao sul chega-se à pitoresca cidade de Peschiera Del Garda, com seu bonito centro histórico - as muralhas que a cercam datam do século XVI. A fortaleza local desempenhou um papel proeminente na maioria das campanhas militares realizadas no norte da Itália, especialmente nas guerras napoleônicas. Então, se ainda tiver tempo, aproveite e conheça também mais esta localidade às margens do lago! Atrações não faltarão.

E uma delas, e que atrai sobretudo a garotada, está bem próxima dali. Trata-se do parque de diversões Gardaland (clique aqui e acesse o site)! Construído em 1975 e constantemente ampliado, é hoje um dos mais famosos parques temáticos de toda a Europa (em 2007, ou seja, já há muitos anos atrás, ele recebia quase 4 milhões de visitantes ao ano....não consegui os números atuais, mas dá para imaginar que seguir crescendo muito). Possui mais de 60 atrações, dentre elas 6 montanhas-russas! É um programa bacana para passar um dia se divertindo muito!

Para finalizar este tópico, gostaria ainda de citar o Lago di Garda, graças à sua excelente localização, encontra-se também muito próximo à outros destinos de enorme interesse turístico, como principalmente Verona (a cerca de 30 km), mas também Milão (cerca de 140 km), Veneza (também a cerca de 140 km de distância) e Bolzano, porta de entrada para a região das montanhas, no Tirol Italiano (a cerca de 100 km)