Colmar e outras jóias na charmosa Rota do Vinho, Alsácia (França)

07/03/2018

Se alguém vai viajar para Roma, é fácil indicar onde ir....Coliseu, Fórum Romano, Panteon, o Vaticano...se vai à Paris, igualmente fácil....Torre Eiffel, o Rio Sena, Louvre, Notre-Dame...Rio de Janeiro? Pão de Açúcar, Corcovado, Copacabana...

Mas existem cidades, igualmente atraentes, que são diferentes. 

Colmar, na França, é uma delas. Se alguém vai para lá e me pede dicas, não saberei responder com a mesma precisão daqueles famosos destinos citados no começo do texto. Simplesmente porque Colmar não tem pontos turísticos. Que??? Como assim???

Calma, eu explico. Não tem pontos turísticos, toda ela é uma atração turística! Não dá para dizer vai lá naquela atração, ou naquela outra....não, em Colmar a dica é outra....liberte-se das "obrigações turísticas", relaxe, apenas saia por aí, ande pela cidade, pelas suas ruelas....sem pressão....simplesmente caminhe, sem rumo (dificilmente você vai se perder, a cidade é bem pequena, tem pouco mais de 60.000 habitantes...rsss). 

Sinta, aprecie...absorva tudo!

Situada em uma planície na linda região da Alsácia, banhada pelo Rio Lauch e fazendo parte do famoso percurso da "Rota do Vinho", próxima à Basiléia e Estrasburgo, Colmar é um charme, um encanto!

A região em que fica Colmar é assim, repleta de vinhedos e pequenos e charmosos vilarejos...cenários que compõem a "Rota do Vinho"

De acordo com o Wikipédia, "Colmar era conhecida como Kolmar durante o período em que a Alsácia era parte da Alemanha. A cidade de Colmar foi fundada no século IX, sendo-lhe outorgado o status de Cidade Imperial Livre do Sacro Império Romano-Germânico em 1226. Era uma das dez cidades que formavam a Decápole da Alsácia. Foi tomada pelo suecos em 1632, durante a Guerra dos Trinta Anos, que a mantiveram dois anos sob controle. Após passar ao Império alemão pelo Tratado de Frankfurt, transformou-se na capital do distrito da Alta Alsácia no território imperial (Reichsland) daAlsácia-Lorena.

Colmar foi a última cidade francesa a ser liberada da ocupação alemã, em 1945, após uma longa resistência das forças alemãs.

É a terceira maior cidade da Alsácia, após Estrasburgo e Mulhouse."

Ou seja, haja história nesse pedacinho da França! Um pedacinho da França, diga-se de passagem, muito próximo da Alemanha e da Suíça, o que faz da cidade um mix das culturas destas três nações, sobretudo na arquitetura.

Como dito antes, Colmar é atraente como um todo, especialmente seu centrinho. E é lá que você deve concentrar suas caminhadas. Dá para explorar tudo a pé, facilmente....com calma, sem filas e empurra-empurra.

Enquanto caminha, seus olhos vão trabalhar intensamente tentando captar tudo aquilo....especialmente o desenho das casas, suas cores e formas...você vai se sentir dentro de um conto-de fadas, andando por uma cidade repleta de casinhas de boneca! É tudo colorido, florido, limpo...tranquilo. E não esqueça de olhar para o alto, nas chaminés das casas, onde cegonhas fazem seus ninhos. E não, elas não carregam bebês...rssss

OBS: se você gosta de fotos, seus dedos também vão trabalhar intensamente....rsss....é sem dúvida alguma uma das cidades mais fotogênicas do mundo. Cada canto que você olha é um clique...ou dois, três...quem se importa. O importante é registrar cada detalhe.

O que é legal também em Colmar é que durante a caminhada você acaba cruzando com muitos artistas de rua, muitos deles retratando a cidade em quadros e outros tantos tocando músicas típicas...aliás, o som do acordeon combina muito bem com esse lugar.

Andando por Colmar....uma experiência para guardar na memória 
(e em fotografia também..rs) 

Não é preciso procurar muito para ver as cegonhas em seus ninhos

Além de caminhar pelas suas ruas, não deixe de comer na cidade. Colmar tem ótimos restaurantes! Afinal de contas, você está na França, não é verdade? (embora a culinária alemã também se faça bem presente, principalmente com o chucrute). Meu pai comeu escargot e aspargos (enormes) e adorou...eu, que não sou muito adepto de comer caramujos, optei por algo mais "normal"...rss. 

Enfim, sente em uma mesa ao ar livre, na praça ou na beira do rio, e delicie-se com o sabor e o visual do lugar! 

Lugar agradável para comer em Colmar é o que não falta

Vai um escargot aí?

Faça também um passeio de barco pelo rio, na chamada "Pequena Veneza"...conheça a Igreja Gótica de San Martin, o Museu Bertholdi - casa em que Auguste Bartholdi, o escultor francês e criador da Estàtua da Liberdade, residiu. E não esqueça de passar também pelo Mercado, com seus maravilhosos queijos, pães, doces e frutas. Lembro até hoje das gigantes cerejas que comi lá.

O mercado de Colmar e suas delícias!

Ah, e não tem como escapar....duvido você resistir aos doces indecentemente expostos nas vitrines. Uma delícia aos olhos e ao paladar, claro. Duvido também você resistir aos encantos das lojinhas locais. Você certamente vai comprar algo para levar de recordação! Especialmente as lindas réplicas de casinhas...e, se for época de Natal, os indescritíveis enfeites.

Pronto, eu disse que não tinha atrações específicas em Colmar e acabei citando algumas....ok, elas existem sim, mas não se destacam do restante (e isso no bom sentido, pois tudo lá é especial).

Ah, uma dica...se não for se hospedar na cidade, procure chegar cedo...as vagas de estacionamento próximas ao centro são muito disputadas. E chegando cedo você aproveita mais para conhecer esse doce de lugar!

Os doces são um capítulo a parte, impossível resistir...rsss

Ruas estreitas, casinhas de conto-de-fadas...lojinhas...Colmar é um charme!

Não deixe de comprar ao menos uma casinha de Colmar para enfeitar sua sala.

Um espetáculo de cores e formas...

Se puder fique até a noite (ou melhor ainda, durma lá) e veja como a cidade fica com suas casinhas iluminadas.

Atrações próximas

A Alsácia tem inúmeros vilarejos para conhecer além de Colmar...e um mais bonitinho que o outro. Não tem erro, por onde você passar, valerá a pena. Mas tem alguns deles que eu gostaria de citar rapidamente. 

A começar por Eguisheim, quase do lado de Colmar (apenas 7 km de distância as separam). Com seu clima medieval, talvez seja o vilarejo mais charmoso e colorido de toda a França, e um dos mais românticos da Rota dos Vinhos. Este pequeno vilarejo, com cerca de 1.500 moradores, é habitado de maneira permanente desde a pré-história, e pode ser facilmente visitado a pé, em cerca de uma ou duas horas. E olha, vale muito a pena!

O vilarejo de Eguisheim com suas ruelas estreitas e circulares. Sensacional!

Outra pequena cidade que merece uma visita é Riquewihr, (também bem próxima à Colmar, apenas 14km dali).

Rodeada por vinhedos e protegida por uma muralha, a pequena cidade guarda em seu interior uma sequência impressionante de casinhas coloridas, todas enfeitadas. Por suas ruas de paralelepípedo passam turistas estasiados, que se transformam em uma pequena multidão no período natalino, graças à fama do Mercado de Natal local. Aliás, foi aqui que visitei a mais linda loja de enfeites natalinos de toda minha vida, em pleno mês de maio. Fico imaginando como deve ser em dezembro!

Riquewihr, assim como as cidades anteriores, pode também ser facilmente visitada a pé (aliás, carros não entram no centro destas vilas). O vilarejo fica em uma subida, mas nada muito íngreme...e você vai estar tão encantado com o que vê que nem vai sentir as pernas reclamarem...rssss

As casinhas coloridas e a torre da muralha que protege a cidade.

Riquewihr está cercada por verde...na maior parte, vinhedos a perder de vista.

O comércio local é outra atração a parte...
cada loja, cada padaria, bar, restaurante, entre outros,
é um lugar para ser admirado....charmoso, muitoooooooooooo

Foi aqui, em Riquewihr, que conheci a mais linda loja de decoração de Natal
de toda a minha vida...e olha que era maio hein?
Imagina na época do Natal mesmo...

Para terminar, uma última dica de lugar especial a ser visitado na região: o Castelo Haut-Koenigsbourg . Achamos por acaso enquanto rodávamos pela estrada da Rota do Vinho em busca de mais e mais vilarejos....de repente, vimos ele lá no alto de um morro, majestoso! Enorme! E cada vez maior e maior a medida que subíamos a colina e nos aproximávamos dele. E quando chegamos, aquela sensação deliciosa de "isso foi um achado"...uau!

Trata-se de um castelo fortificado do Século XII, que durante séculos atravessou diversas guerras entre imperadores, reis e ditadores. Chegou a ser quase que totalmente destruído nessas batalhas, mas a partir de 1900 foi restaurado e segue hoje incrivelmente bem preservado.

Sua grandeza impressiona e aqui, mais uma vez nesta região, você se sentirá transportado para dentro das histórias de conto de fadas. Já conheci muito castelo em minhas andanças, incluindo o enigmático "Neuschwanstein", na Alemanha, mas este é o que mais me fez sentir no passado, na época dos cavaleiros, reis e rainhas. Vale muito, mas muito mesmo a pena...se estiver na região, não deixe de conhecer!